Tragédia ou Amor?


Quantas vezes quando sabemos de um rompimento de relacionamento falamos ou pensamos: Que pena! É quase incontrolável esse pensamento ou sentimento não é!?


Pois bem, não deveríamos encarar os fins como tragédias, e sim como oportunidades de sermos felizes, pois se rompeu não era para nós.


Qual o valor de nos mantermos em relações conturbadas, pesadas, que não funcionam? Estamos realmente presas a essa ideia de que relações rompidas são tragédias?


Não, não são! Muitas vezes permanecer é nosso fim.


Essa crença limitante de que acabou tem dor, luto, sofrimento, tragédia tem que acabar, temos que olhar para o lado cheio do prato, para a abundância de novas oportunidades de sermos felizes em outras relações sem o peso dessa tal tragédia.


Que possamos viver nossas relações e rompê-las quantas vezes forem necessárias sem qualquer tipo de julgamento que nos aprisiona, que possamos nos relacionar em Paz e romper quantas vezes for necessário para encontrarmos o equilíbrio da felicidade das nossas relações com muito AMOR PRÓPRIO.


Link do livro na bio Parece amor mas, é abuso


Adriana Caeiro

Escritora, Terapeuta de Relacionamento e Palestrante.

@adrianacaeiro.oficial


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo